Pregação

A Necessidade Urgente da Pregação Expositiva

pregação-expositiva

Martin Lloyd-Jones disse que a pregação expositiva é a tarefa mais importante do mundo. A maior necessidade da igreja e a maior necessidade do mundo. Calvino entendia que o púlpito é o trono de onde Deus governa a sua igreja.

Um grande número de pastores demostra cansaço no trabalho e parece estar cansado do trabalho. 

Muitos estão excessivamente desanimados para estudo e preparo da mensagem. De fato, muitos pastores e membros de igreja entraram em profunda letargia espiritual. Muitos já não se preocupam em estudar ou preparar uma pregação expositiva.

Um reavivamento no púlpito e nos bancos é absolutamente necessário…

Muitos pastores, infelizmente, abandonaram o compromisso com a Palavra de Deus. A vida de alguns deles é seca, fraca, rasa e sem o poder do Espírito Santo. No entanto, existem, é claro, muitos pastores e membros que trabalham com grande zelo para a glória de Deus e para o crescimento da Igreja.

Continue lendo este artigo, onde vou fala como você sobre a necessidade urgente da pregação expositiva.

Nesse artigo você vai aprender sobre:

1) Há Dois Extremos Perigosos quanto ao Crescimento da Igreja
2) A Sedução do Pragmatismo
3) A Superficialidade do Púlpito
4) Como Anda sua Agenda Pastor?
5) Dicotomia entre Liturgia e Pregação

HÁ DOIS EXTREMOS PERIGOSOS QUANTO AO CRESCIMENTO DA IGREJA

A-necessidade-urgente-da-pregação-expositiva01

a) Numerolatria – É a idolatração dos números. É crescimento como um fim em si mesmo. É o crescimento a qualquer preço. Hoje vemos muita adesão e pouca conversão. Muita ajuntamento e pouco quebrantamento. A pregação da fé sem o arrependimento e da salvação sem conversão.

b) Numerofobia – É o medo dos números. É desculpa infundada da qualidade sem quantidade. A qualidade gera quantidade. A igreja é um organismo vivo. Quando ela prega a Palavra com integridade e vive em santidade Deus dá o crescimento. Não há colheita sem semeadura.

Deus não se impressiona com o números de igrejas; Ele quer pessoas convertidas e transformadas (Jo 6.66-69; Mt 29.19,20).

A volta à prática da pregação expositiva em um período marcado pela superficialidade (guarde essa palavra) no púlpito e pelo analfabetismo bíblico nos bancos das igrejas é necessidade urgente.

A pregação expositiva é um dos melhores instrumentos para produzir o crescimento sadio da igreja…

Muitos pastores usam a Bíblia contra a própria verdade. Eles buscam experiências, não verdade. Alguns exemplos são: teologia da prosperidade, confissão positiva, novas visões, revelações e profecias.

A SEDUÇÃO DO PRAGMATISMO NA BUSCA DO CRESCIMENTO DA IGREJA

A-necessidade-urgente-da-pregação-expositiva02

O Movimento de Crescimento de Igreja começou em 1930 com Donald McGavran, quando deixou a sede das Missões na Índia e passou 17 anos plantando igrejas e fazendo uma pergunta: Por que algumas igrejas crescem e outras não?

Ele começou um Instituto de Crescimento de Igreja em Oregon com um aluno boliviano. Depois foi para o Seminário de Fuller na Califórnia. Foi o missionário que mais influenciou a igreja no século XX.

Davi Eby diz que o que espanta é que nas teses e dissertações dos estudantes do MCI não há quase nenhuma ênfase na pregação como instrumento para conduzir a igreja ao crescimento. Ao contrário, seguem as técnicas do pragmatismo: se funciona, use.

O Pragmatismo não está preocupado com a verdade, mas com o que funciona. Não pergunta o que é certo, mas o que dá certo.

O pragmatismo infiltrou-se na igreja. As pessoas não escolhem a igreja por causa de uma necessidade espiritual, mas para satisfazer outras necessidades.

Em vez de procurar uma igreja que ensine a Palavra de Deus, algumas vezes buscamos uma igreja que “supra nossas necessidades”. A igreja não existe para prover “serviços” aos membros; ao contrário, ela deve desafiar os membros a que se envolvam no “serviço” a Deus.

Quando pensamos como consumidores, colocamo-nos em primeiro lugar, escolhendo o que corresponde melhor aos nossos desejos. Cristianismo não deve ser confundido com consumismo.

Muitos pastores pregam mensagens conservadoras, mas são como Geazi: o cajado profético em suas mãos não pode ressuscitar os mortos, e os sermões mortos matam. Como escreve E. M. Bounds, “Homens mortos pregam sermões mortos, e os sermões mortos matam”.

De fato, um sermão sem o poder do Espírito Santo faz endurecer o coração. A palavra de Deus é espírito e vida (Jo 6.63); ela é viva e eficaz (Hb 4.12); é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê (Rm 1.16).

A SUPERFICIALIDADE DO PÚLPITO

A-necessidade-urgente-da-pregação-expositiva03

Muitos pastores oferecem sopa rala para o povo de Deus, não alimento sólido e consistente. Não estudam a Bíblia a fundo. Não gastam tempo pesquisando as riquezas insondáveis de Cristo.

Falham na oração e pregam sem paixão, sem unção e poder. O resultado evidentemente é o pequeno crescimento da igreja.

Muitos livros sobre pregação foram escritos (10 Livros que todo Cristão deve Ler – clique aqui!) , mas poucos enfatizam a pregação para o crescimento da igreja. Embora pregação e crescimento da igreja tenham uma relação íntima, muitos autores não observam essa proximidade.

Antes que a pregação seja restaurada, o pregador deve ser reavivado. O homem é o vaso ou instrumento usado por Deus para alcançar as pessoas.

Hoje as pessoas não procuram a verdade, mas por aquilo que funciona. Não estão interessadas no que é certo, mas no que produz resultados imediatos. Não buscam princípios, mas vantagens. Desse modo muitos pastores pregam o que o povo quer ouvir.

Hoje o povo busca resultados, coisas, benefícios pessoais e não a Palavra de Deus. Querem as bênçãos de Deus, mas não Deus. Têm fome de prosperidade e sucesso, mas não têm fome da Palavra.

Muitas vezes a palavra é alterada, por não estar centrada em Deus, mas no homem. As exigências do “mercado” determinam o que o pastor  deve pregar. Assim os pastores tornam-se servos dos homens, mas não servos de Cristo (Gl 1.10).

Um púlpito fraco produz uma igreja fraca. Uma igreja sem vitalidade espiritual não consegue crescer.

A fraca biblioteca pessoal dos pastores dificulta ainda mais a boa pregação expositiva. As razões para essa situação são três:

1) Falta de recursos financeiros;
2) Falta de entusiasmo pelo estudo, e;
3) Falta de prazer pela leitura.

É impossível pregar um sermões expositivos sem que haja um estudo sistemático, metódico e intenso. Pregar a verdade de Deus exige sacrifício, estudo e esforço. Os púlpitos necessitam desesperadamente de melhor conteúdo.

COMO ANDA SUA AGENDA PASTOR?

Um problema muito grande e sério é que, muitos pastores estão sobrecarregados com atividades eclesiásticas. Eles passam a maior parte do tempo envolvidos na manutenção e organização da igreja, negligenciando uma busca mais efetiva das verdades sublimes das Escrituras.

LEIA TAMBÉM: 37 Diferenças entre Pastores e Lobos

Alguns pastores não têm tempo para a oração e nem para o estudo da palavra (At 6.4) A pregação tornou-se, assim, uma tarefa secundária no ministério.

E ainda a situação é pior do que você pensa. Há falta de espiritualidade profunda na vida de muitos pastores. A maioria deles não cultiva a piedade; não tem intimidade com Deus. Esses pastores estão secos como o deserto.

Tornaram-se profissionais da fé. Perderam o amor, a visão e paixão pelo Senhor e o reino. Suas mensagens ficaram sem vida, maçantes, insípidas e tediosas.

Cansar o povo de Deus com a Escritura é um pecado terrível. Um pregador frio e seco é uma grande tragédia. O pregador sem o poder do Espírito Santo presta um desserviço ao reino de Deus.

Quando o fogo do Espírito é apagado no púlpito, a igreja torna-se indiferente à Palavra de Deus, e os incrédulos não são alcançados.

DICOTOMIA ENTRE LITURGIA E PREGAÇÃO

Um grande problema é a falsa dicotomia entre liturgia e pregação. O púlpito está perdendo sua centralidade. A pregação não é mais prioridade nas liturgias modernas.

Tem lugares que a palavra não é tão importante. Tem cultos que dez conjuntos cantam e a palavra fica com um tempo escasso. Triste realidade :'(

As pessoas querem alimento rápido e leve, tipo miojo. Muitos púlpitos tornaram-se verdadeiros “fast-food” espirituais. O povo não quer uma mensagem demorada. O povo não quer uma comida no fogão a lenha, mas uma comida feita no micro-ondas.

Superficialidade e inconsistência são as marcas desta era pós-moderna. A ignorância da Escritura é a porta de entrada para muitas heresias.

O QUE É PREGAÇÃO EXPOSITIVA?

A-necessidade-urgente-da-pregação-expositiva04

Pregação expositiva é, antes de tudo, pregação bíblica. Não é pregar sobre a Bíblia, mas pregar a Bíblia. Em outras palavras, a pregação expositiva é a pregação centrada na Bíblia (descubra como fazer uma pregação – CLIQUE AQUI!).

A fidelidade e esterilidade não podem viver juntas sem grande conflitos. A igreja sadia deve crescer. O ponto não é como crescer, mas sim quais os impedimentos para que cresça.

Rick Warren disse: “Pergunta errada: o que fará nossa igreja crescer? Pergunta certa: O que está impedindo nossa igreja de crescer?”. A igreja é um organismo vivo. Ela é o corpo de Cristo, e um corpo saudável cresce.

[Extraído e adaptado do livro Pregação Expositiva – Hernandes Dias Lopes | Editora Hagnos]

Previous ArticleNext Article
Chamado por Deus, salvo por Cristo e cheio do Espírito Santo. Vamos mudar o mundowww o/